A UMBANDA EM PORTUGAL

O Terreiro de Pai Oxalá e Mãe Iemanjá- a nossa sua história e o nosso contributo


      A Umbanda nasceu do encontro de culturas, povos e religiões que foi e é o Brasil: Europeus, Africanos e Indígenas, em busca do sentido Espiritual do ser Humano fundaram vários movimentos religiosos que traçam um ponto de contacto verdadeiramente Universalista . Séculos passados, sobre a colonização portuguesa e libertação dos escravos, a espiritualidade encontrou no Brasil o ambiente ideal para crescer e se afirmar. Hoje essa espiritualidade abre-se a novos horizontes e expande-se por todo o mundo. Portugal surge como é natural como um dos primeiros portos de acolhimento fora da mãe pátria da Umbanda. Caboclos, Prêtos-velhos, Exús e outras entidades Espirituais podem ainda parecer algo exóticas aos olhos da maioria, contudo a mensagem de Amor, Caridade e a ajuda espiritual inestimável que tais seres de luz nos trazem farão por certo mais pela causa Espiritual que qualquer exposição por mais detalhada e iluminada


    



Pai Fernando de Oxalá - Biografia resumida

O líder e chefe de culto do Terreiro Pai Oxalá e Mãe Iemanjá chama-se Fernando Soares, é Brasileiro de nascimento (Niteroi- Rio de Janeiro em 1961)  e Português de filiação; Sacerdote, Pai-de-Santo ou ainda Babolorixá. Preside a um grupo de irmãos em fé,  levando a cabo sessões com consultas  a Caboclos e Pretos-Velhos, Descarrego, Esclarecimento e Desenvolvimento de Médiuns além de outras actividades. Antes de assumir a iniciativa e liderança deste Terreiro, o Pai Fernando é ele próprio um médium de 'berço' como é dito na gíria, ou seja, desde os seus primeiro anos de  vida que convive com entidades e espíritos de outro plano. Filho de mãe, também ela médium de berço. Dona Maria Fernanda e sua irmã Georgette enquanto crianças nascidas e criadas em Santarém- Ribatejo, no seio de uma família tradicional Portuguesa, sempre tentaram 'passar ao lado' do que se tornaria por demais evidente: suas percepções, sensibilidades, intuições, entre outros 'síntomas' de mediunidade. Seria já no Brasil, nos idos anos de 60, que o contacto com a Umbanda deitaria por terra todas as suas objecções e reticencias. Ambas se tornariam médiuns de incorporação, trabalhando por mais de 40 anos ao serviço da causa umbandista, tendo sido iniciadas na Umbanda em Botafogo (RJ) através de uma senhora a quem todos chamavam carinhosamente de de vó Tereza e seu guia, o Caboclo Ogum Rompe-mato. Viviam no mesmo edificio e apercebeu-se desde o primeiro instante da mediunidade latente nas duas irmãs. Desde muito pequeno, o pequeno Fernando Soares se habituou a frequentar a casa e as festas de Cosme de Damião inesquecíveis que vó Tereza sempre realizou e que iria realizar com ajuda de muitos vizinhos e admiridadores até ao ano de 2009, em que viria a falecer com cerca de 100 anos de idade. O regresso a Portugal deu-se em 1975 no pós-revolução e de uma forma  imprevista. A missão foi continuada alguns anos mais tarde em Lisboa no apartamento  e onde ambas recebíam dezenas de pessoas aos Sábados para se consultarem com os Caboclos, Crianças e Pretos-velhos de ambas até à suspensão da actividade por motivos de saúde

festa de Cosme e Damião de vó Tereza

**em menino com vó Tereza na festa das Crianças**



Apesar de ter nascido e ser criado na umbanda, só na sua vida adulta, já em Portugal, foi confrontado com a urgência de assunção das suas responsabilidades perante o Astral Superior e perante o seu destino. Surgiu então a necessidade de aprofundar conhecimentos e esclarecer as opções que poderia ter numa altura em que Portugal não conhecia a Umbanda. Poucos eram os locais existentes, todos vivendo um quase secretismo. Hou uma necessidade imperiosa de regressar ao Brasil em busca das repostas e foi assim que começou uma busca individual. Várias foram as idas e vindas até ao Brasil, já então na companhia daquele que viria a ser o seu braço direito e hoje Pai Pequeno no Terreiro a que preside - Francisco de Ogum um  irmão Português que se dedicou de Alma e coração à causa Umbadista e já antes um velho amigo. No Rio de Janeiro foram aconselhados por Entidades e Chefes de Centros e Terreiros mais experientes,  como por exemplo a Casa de Caridade de Caboclo Peri em Botafogo no Rio de Janeiro, com uma só conclusão; havia iniciar uma prática da caridade espiritual e deste modo contribuir para a disseminação da Umbanda, em Portugal!

A este respeito o Pai Fernando afirma:

"- Durante a minha busca incessante deparei-me com caminhos alternativos e com as várias linhas e nações da religião que me propunha seguir. A minha querida avó Tereza tinha agora mais de 90 anos de idade e não tinha um centro, no qual me pudesse iniciar. Encontrei então quase por "acaso" , já que nestas coisas não existe o acaso como viria descobrir mais tarde, Mãe Cícera de Oxum do Terreiro de  Tia Rosa da Bahia  em Majé (Rio de Janeiro) e a  Umbanda de Angola, estávamos em 1999. Agradeço os conhecimentos recebidos e recordo esses tempos com carinho, apesar de não ter sido este o caminho que procurava como viria a perceber mais tarde. Nesta altura já me acompanhava o meu actual braço direito, Francisco de Ogum, hoje Pai Pequeno no Terreiro a que presido e ambos nos submetemos à feitura  de Santo  com todos os preceitos que a nação Angola impõe.  No entanto o caminho só estava começando e as questões  evolutivas, cármicas e até de sensibilidade impulsionaram-nos no sentido de outra forma de praticar a Umbanda. A busca levou-nos até à Casa de Caridade do Caboclo Perí onde Dona Sandra, chefe espiritual desta casa bem como seus guias que me são muito queridos: seu Cobra -Coral e Tia Justina  me receberam de braços abertos, encaminhado e confirmando a missão que me aguardava: a abertura de um centro ou terreiro em Portugal e ajudar à disseminação de uma Umbanda de caridade e entrega, sem mercantilismo, estávamos então em 2002. Ainda hoje estes laços são fortes e vivos apesar das minhas viajens ao Brasil serem cada vez mais raras, pelo que deixo aqui a minha homenagem pessoal a esse centro e a todos os que nele se entregam com amor e fé pois  continua a ser uma casa de muita luz . "


   


     ATUPOMI - TERREIRO DE PAI OXALÁ E MÃE IEMANJÁ

    O Terreiro de Pai Oxalá e Mãe Iemanjá abriu oficialmente suas portas na Cortesia, localidade do concelho de Sintra em 26 de Abril de 2003, homenageando-se nesse sábado simultaneamente o Orixá Ogum, de acordo com nosso calendário litúrgico (dia de Ogum -23 de Abril ) . No entanto nossas 'reuniões' decorriam já desde 2001 embora num espaço acanhado de um apartamento situado no Cacém, arredores de Lisboa,  o qual se tornou demasiado pequeno e inadaptado para as solicitações e necessidades especificas da liturgia.  Em Abril de 2006 inaugurámos novas instalações ainda na Assafora, com melhores condições de conforto, tanto para a assistência como para os mediuns e cambonos da casa, que tendo aumentado a esta altura de forma imprevista, tornavam urgente a evolução natural para um espaço mais amplo! A inauguração deste novo espaço seria feita a 22/04/2006, '' coincidindo '' novamente com a homenagem a OGUM, a quem agradecemos continuamente pela protecção que nos vem conferindo.
   Nossa missão não tem propósitos financeiros pelo que o templo, sendo suportado pelos seus membros associados, está aberto em permanência a todos quantos nos queiram contactar, quer seja por necessidade de ajuda espiritual quer seja por  sentido de missão. Serão sempre bem vindos todos os que vêem por bem!
A Umbanda, tal a conhecemos e difundimos, é o movimento que com o qual contactei no rio de Janeiro desde a minha infância e salvo raras excepções, distinto de outros movimentos praticados noutras regiões brasileiras. É um movimento menos ritualístico do que a chamada "umbanda de nação", movimento esse tolhido de imensas influencias africanas que a aproximam muito do camdoblecismo; não que tenhamos alguma coisa contra esses movimentos mas tão somente não nos identificamos com eles. Desde logo rejeitamos a matança de animais, seja para que propósito for, leis de "salva", etc. A umbanda tal como a praticamos assenta essencialmente na caridade, nos trabalhos desenvolvidos pelas suas entidades (caboclos, crianças, pretos velhos, etc.) no poder da palavra e da mente (através da oração e da postura na vida).  Para maior compreensão deste movimento, é imprescindível a leitura das seguintes páginas deste site : A  Umbanda  e Conceitos essenciais.

Em 2011 tornámo-nos ATUPOMI- Associação Terreiro de Umbanda Pai Oxalá e Mãe Iemanjá, pessoa juridica de direito privado sem fins lucrativos. Desta forma resolvemos dar corpo legal ao terreiro enquanto instituição inserida na comunidade.





Pai Fernando de Oxalá -Terreiro em Cortesia 20005

** Pai Fernando de Oxalá em 2005 no Terreiro em Cortesia**

**Pai Fernando em 2008 no Terreiro Pai Oxalá e Mãe Iemanjá em Assafora**





Assista ao pronuncimento de Pai fernando em  01/09/2009 numa entrevista conduzida por Rivas Neto em ditecto para a F.T.U. (faculdade de Teologia Umbandista)


siga o link   31º.Pronunciamento AO VIVO realizado em 01/09/2009 -com Pai Fernando Soares



Em Setembro de 2009 o Pai Fernando de Oxalá foi convidado a Participar no 2º Congresso Brasileiro de Umbanda



Pai Fernando em S. Paulo no congresso Brasileiro de Umbanda (2009) junto a Pai Rivas e sua esposa


Os congressistas em contato com as ervas da oficina de Pai Rivas on Twitpic

 A busca e iluminação do espírito de cada um tem muitas vias, mas para cada estágio de evolução existe um caminho específico.


Para melhor compreensão da umbanda e da nossa postura, sugiro  a leitura atenta das restantes páginas propostas na página principal deste site.

Bookmark and Share